domingo, maio 22, 2011

José Castelo Branco - A Fraqueza de Espírito

Já lá vai tanto tempo desde a última vez que aqui escrevi. Posso mesmo afirmar: quanto mais tempo passa, mais trabalho se tem!


Fiquei hoje impressionado com a falta de escrúpulos desta mesma pessoa. Enquanto me encontrava a ver o novo programa da TVI, os Perdidos na Tribo, pelo simples facto de ser completamente ridículo, apercebi-me do quão 'fraco' José Castelo Branco é.

Antes de mais, o desrespeito dele pelos seus anfritiões é completamente ridículo. A sua falta de carácter é colossal. Para além disso, viu-se envolvido numa cena em que tinha que acartar um balde com água na cabeça. A sua fraqueza, neste caso física, levou-o a desistir antes de chegar ao seu destino. A 'birra' que fez por não querer continuar a carregar o balde levou-o a ser forçado a fazê-lo o que, consequentemente, levou-o a deitar o balde de água que carregava ao chão. E isto, mesmo parecendo pouco, impressionou-me. Encontrava-se na Etiópia; o calor lá é abrasador; a falta de água potável é um dos grandes problemas que assola as populações que vivem naquela região. No entanto, teve a coragem, se é que se pode chamar de coragem, de desperdiçar o bem mais precioso para toda aquela gente, pelo simples facto de ser fraco - tanto de estatura como de alma.

Para agravar mais a sua situação e imagem, ainda se viu envolvido noutra cena reveladora. Quando tinha que marcar as vacas da sua tribo, golpeando-lhes a orelha (mas não cortando-a), assegurou que não o faria porque não gostava de fazer mal aos animais. Todavia, e irremediavelmente, lá acabou por fazê-lo. Contudo, em vez de apenas golpear a orelha do animal, acabou por lhe cortar a ponta. Deu por si com a ponta da orelha da vaca na mão e desatou a gritar, mantendo o pedaço da orelha na sua mão. Quando acabou de gritar, benzeu-se disse um ou dois 'Ai, meu Deus!' e acabou por declarar 'Já tenho um troféu!', colocando, seguidamente, o pedaço da orelha da pobre vaca à frente tanto do seu peito, como do pulso como de outros lugares onde o pudesse usar como enfeito, chegando mesmo a afirmar 'Dava um bonito colar'.

Isto apenas demonstra a falta de princípios deste mesmo ser. O seu carácter abalou-me e, por mais que seja contra a violência e contra o desprezo e todas essas coisas, uma pessoa como ele é que não faz falta nenhuma nem a Portugal nem ao mundo. O problema é que, como ele, há muitos!

3 comentários:

  1. adorei, adorei!
    Que artigo tão bom para o Badaladas :) eheh tou a brincar

    ResponderEliminar
  2. Olá Bernardo!
    Acabei de conhecer o teu blog, adorei e vou ficar por aqui! ;)
    Este "artigo" está muito bem escrito e penso que diz tudo!
    De facto, aquele momento do colar foi deprimente!

    ResponderEliminar
  3. Obrigado, Verónica! Espero que gostes do meu cantinho! =D

    Alexandre, se quiseres, estás à vontade para me 'roubares' ideias xP Ainda me hás-de dizer o que é preciso fazer para escrever para o Badaladas.

    ResponderEliminar